Homofobia

mais uma vez estou aqui porque 140 caracteres não permitem expressar ao todo meu pensamento, desde que passei a usar o Twitter eu tenho percebido que o mundo anda muito polarizado, ou é isso ou é aquilo e devo admitir também já fui assim e para meu bem a vida me deu experiências que me tornaram mais paciente e capaz de perceber os vários tons de cinza da realidade fática.

No dia de ontem 17/05/2017 dia mundial do combate a homofobia ou algo assim, um perfil no Twitter fez uma publicação falando sobre casos de violência contra gays em uma conotação que claramente era em desfavor de tal dia comemorativo (existem poucos casos ou casso contra héteros são em maior numero), prontamente respondi com estas exatas palavras:”Acho que o problema é a violência não homofobia, se tem algo democrático no nosso país é a violência, todos sofrem.”

Enxurrada de xingamentos coming burro, homofóbico, preconceituoso, machista (?) e etc, virei tudo isso, ahh é nojento também (vlw Fe), a internet permite que nos comuniquemos mas dificilmente permite que entendamos o que está sendo escrito então vamos lá: A violência é algo corriqueiro em nosso país e eu sou opositor a violência contra qualquer ser humano, se você pertence a família sapiens então está sob meu guarda chuva, é noiz, para se ter uma ideia no nosso Brasil veranil morre mais gente do que na guerra da  Síriaou seja é mais seguro morar em um país em guerra do que no Braza, exagero? talvez, mas isso que não contamos casos de: violência domestica, assaltos, furtos, estupros, sequestros e por aí vai, nosso problema é a violência sim.

Neste paragrafo vou fazer um esclarecimento, como Liberal acredito que exitem duas coisas invioláveis, a sua propriedade e a sua liberdade, propriedade não engloba apenas aquilo que você compra, seu corpo e sua vida são suas propriedades. A liberdade é algo óbvio, desde que sua propriedade não invada a liberdade e propriedade de outrem, viva como quiser.

esclarecidos os termos que vou utilizar vamos começar. A violência é uma agressão à propriedade ou liberdade, porém nem todo ato homofóbico agride estas duas ou qualquer uma delas, simplesmente porquê as pessoas tem o direito constitucional de não gostar ou de falar mal da homossexualidade nos termos do artigo XIX da Declaração Universal dos Direitos Humanos:“Todo ser humano tem direito à liberdade de opinião e expressão; este direito inclui a liberdade de, sem interferência, ter opiniões e de procurar, receber e transmitir informações e ideias por quaisquer meios e independentemente de fronteiras”.

E nos termos da nossa Constituição Federal também, conforme artigo V: “IV – é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

VIII – ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;”

E tem o artigo 220 também pesquisa lá, o ponto amiguinho é: quem não é gay tem direito de não gostar e de falar mal ou bem da homossexualidade e vice versa, o que não pode e eu condeno é restrição de direitos “Eu acho que gays não deveriam se beijar em publico” pau no seu cú, a demostração de afeto é um direito garantido a todos sem restrição. “Eu acho que gays não deveram se casar” dois paus no seu cú, mais uma vez a CF garante direitos iguais e se o hétero tem direito a se casar civilmente assim deve ser para o gay também, “Gays não deveriam adotar crianças”, OK, dois paus no seu cú e um na sua boca, quantas crianças de rua você já adotou mesmo? é legal esse argumento porque geralmente vem da mesma pessoa que pede penas de prisão para o dimenor ladrãozinho que fica na praça (aguarde texto sobre isso), “Minha crença diz que gays vão para o inferno”, OK, se bem que todas as pessoas maneiras vão estar lá também. “Hétero só serve pra fazer mais gays” Não deixa de ser verdade, meia verdade mas OK. “Xô hétero” se for só no sentido figurado OK. “Que Hétero mais burro” OK.

Perceberam a diferença? “ain mas você nunca foi agredido por ser homem ou hétero seu machista”. Se for pela linha de pensamento de alguns no Twitter eu fui sim, verbalmente, mas isso para mim não importa. Se for pela violência que eu acredito, restrição de direitos, liberdade ou propriedade realmente nunca fui vitima de agressão por ser homem e hétero, mas posso sofrer agressão por qualquer outro motivo: Por ser palmeirense, por ser ateu, por uma discussão no transito, são vários os motivos que uma pessoas pode sofrer violência eu não separo (via de regra) as pessoas em caixinhas eu penso na homogeneidade, na proteção do individuo e no combate a violência (nossa 11 vezes já) em qualquer âmbito não importa quem você seja.

Portanto jovens coloquem isso na cabeça de vocês, ninguém é obrigado a gostar da gente, assim como você não é obrigado a gostar de ninguém, opiniões e ofensas todo mundo vai receber ao longo da vida e como tu pretendes se dizer pessoa madura se não aguenta ouvir uma ofensa e seguir em frente? agora se alguém restringir sua liberdade ou propriedade busque a policia ou um advogado.

 

 

Pablo Victor Arceles.

PS.:Faz tempo que escrevo nesta pocilga mas ninguém lê, mesmo que for pra xingar manda um comentário aê pá noiz, e acompanhe se quiser ler sobre o dia em que eu fui numa boate gay.

O Cyberativismo Aliviando Consciências

“Compartilha se você concorda”; “Se você acha isso certo, curta e compartilhe”, o advento da internet transformou nossas vidas enormemente e em um período de tempo curtíssimo. Há exemplo tenho a mim mesmo, que no longínquo ano de 2005, no auge do Orkut enquanto a molecada invadia as lan houses trocando “scraps”, “depoimentos”, postando fotos e tentando alcançar aquilo que era o supra sumo do Orkut; O nirvana daquela rede social; O ponto máximo que atestaria a sua popularidade na rede mundial de computadores; Aquilo que faria com que você alcançasse o status de sub celebridade internetica: Um milhão de scraps. Eu estava com os fones de ouvido jogando alguma coisa com violência gratuita e infundada.

E assim como o Orkut, a necessidade de scraps deixou de existir, e até mesmo usuários antes assíduos, hoje hostilizam o Orkut, tal qual parentes que chutam o vovô da família, após sacar a aposentadoria do coitado. Estranhamente, nunca fui um usuário amiudado de redes sociais e usava a lan house mais para jogos. Uma rede social é algo que não prende meu interesse por muito tempo, talvez por não ser uma pessoa muito sociável, mas isso não me impediu de pagar atenção a um comportamento muito comum na mais nova rede de amigos imaginários da internet mundial, o Facebook. Centenas, milhares, quiçá milhões de pessoas estão adotando uma postura que é no mínimo deprimente, o Cyberativismo.

Basicamente as pessoas postam imagens de coisas com as quais acham certo ou errado e inserem na legenda da postagem: “Compartilhe se você concorda”, o usuário sensibilizado pela imagem de alguma criança africana esfomeada, se apressa em curtir e compartilhar a imagem com todos os seus, “amigos?” para difundir a palavra e iniciar uma discussão inútil de como a situação dos africanos é pior que nossa e quão triste deve ser morar em um lugar destes. O único problema é que essa postura é apenas para amenizar a consciência dos indivíduos que em sua gigantesca maioria, não faz absolutamente nada para mudar a condição de pessoas de rua na sua própria cidade, imaginem então para aqueles de estão a um oceano de distância.

Existem muitas pessoas que levam o ativismo a sério, eu conheço pelo menos duas, mas ainda assim são minoria.

Imagino que a nova necessidade social é o que impulsiona este tipo de comportamento. Uma droga virtual altamente viciante, que faz com que uma pessoa sem a mínima vontade de se levantar e mudar o mundo fique postando mensagens cyberativistas: Receber “likes” ou “joinhas” de seus amigos, ou talvez a simples falta de percepção do mundo a sua volta, a falta de noção de que o Facebook não vai doar quantia X de dinheiro para aquela criancinha com câncer por: 1- O Facebook é uma empresa privada com ações na bolsa de valores (caríssimas a propósito). Seu objetivo é lucro. 2-Caso por alguma epifania Mark Zukeberg, proprietário da rede social fizesse uma campanha destas, ele abriria um desastroso precedente, onde qualquer pessoa necessitada iria exigir ou pedir dinheiro em troca de compartilhamentos.

Resumindo. Minhas queridas formas de vida pluricelulares baseadas em carbono descendentes de hominídeos, seus compartilhamentos não salvam vidas, não doam dinheiro, não recuperam animais de maus tratos, não trarão Jesus de volta e não vão mudar a realidade sociocultural do nosso país.

Em contrapartida temos alguns exemplos de Cyberativismo que se mostram úteis como: Compartilhamento de pessoas desaparecidas, animais perdidos, e um ou outro cartaz de procurados pela justiça (controverso). Exemplos assim já deram alguns resultados positivos.

Na onda mais recente, ou não tão recente, temos os movimentos políticos que levaram milhões de pessoas as ruas protestando a favor ou contra as mais diversas causas, e que teve o apelido na Web de “Primavera Tropical”, uma apologia ao movimento político que derrubou regimes no oriente médio chamado de “Primavera Árabe”, e que também se iniciou em uma rede social, os protestos nas ruas se acalmaram, mas as mensagens políticas a favor dos protestos continuam martelando na cabeça dos usuários das mais diversas redes sociais.

E depois de tudo isso, vamos esperando que com o tempo as pessoas ou sua maioria, adquiram consciência de que, para mudar o mundo não basta um clic.

 

Pablo Victor Arceles só usa o Facebook para jogos (2013).

Update de 2017 Pablo Victor Arceles deletou seu facebook.

É sério? Você foi o vencedor?

Sério? Você foi o vencedor?

As vezes é isso o que eu penso quando vejo algumas pessoas e suas atitudes, chego a pensar que talvez a teoria da evolução esteja agindo ao contrário ou então a história do filme IDIOCRACIA está acontecendo.
O filme é excelente, de 2009, não fez muito sucesso, mas deveria ser apresentado em rede nacional ao menos uma vez ao ano, no universo do filme, as facilidades da vida moderna burlaram as leis da seleção natural onde o mais apto sobrevive, no caso dos hominídeos os mais inteligentes sobreviveram e foi possível a criação de uma sociedade moderna, em que as pessoas inteligentes tinham menos filhos que as pessoas idiotas, e todo o conhecimento e cultura não foram passados adiante, em 500 anos o mundo era formado exclusivamente por idiotas.
Mas falando em termos de evolução, nossa inteligência nos estagnou, nossa espécie não mais é selecionada pelo meio, se as vacinas nunca tivessem sido inventadas, haveria uma mortalidade gigantesca, mas os sobreviventes e seus descendentes seriam imunes ou resistentes a estas doenças ou seriamos extintos, graças ao nosso telencéfalo super desenvolvido criamos maravilhosas maquinas que nos permitem acumular adiposidades em todas as partes do nosso corpo, também criamos alimentos que tem a característica única de aumentar nossa chance de ter um infarto, pressão alta, câncer e etc.
Com toda essa facilidade de conseguir alimento e abrigo, coisas que para nossos ancestrais era raro, a raça humana pode se ocupar com coisas mais triviais como, por exemplo: matar uns aos outros, criar reality shows, produzir musicas monossilábicas de contexto sexual, novelas, livros de auto ajuda, entre outros.
Agora raciocinem comigo: de milhões de espermatozoides que se sacrificam na corrida da vida apenas um vai chegar ao seu destino, entrar no óvulo e criar uma maquina biológica pensante, com um cérebro capaz de processar informações em um numero ainda não quantificado, essa maquina entrará em contato com a sociedade e aprenderá o que é certo e errado na convivência social, criará uma personalidade única no meio de aproximadamente 7 bilhões de outras personalidades… e se transformará em um traficante de entorpecentes, é sério isso?.
Tanta energia e recursos gastos para que este ser humano se desenvolva e ele se transforma nisto? Ou também temos o exemplo de Stella Liebeck uma estadunidense que processou com sucesso uma lanchonete por ter derrubado café quente em seu próprio colo, isso me enfurece além das palavras, como alguém pode processar uma empresa por um erro dela própria? Pior ainda, como alguém pode dar ganho de causa para esta pessoa? A musica também se tornou um caso a parte, segundo o Conselho Nacional de Pesquisa da Espanha que analisou cerca de 500 mil musicas, a qualidade da musica mundial piorou década após década, um dos principais exemplos no nosso Brasil veranil é o Sertanejo Universitário, vejamos o que diz a Wikipédia sobre o sertanejo universitário: “… Embalado pelo grande apelo popular entre jovens dos gêneros associados, o novo segmento ganhou grande espaço na mídia. Letras e músicas simples, batidas dançantes, e refrões de fácil memorização automática…”.
Não que eu escute Mozart todo o tempo, mas a popularização do estilo associado a alta sugestibilidade do jovem, está criando um exercito de pessoas que não estão afim de compromissos e se preocupam mais com balada do que com convivência familiar e simplesmente ignoram o fato de que suas ações afetam o mundo ao seu redor, eu seria muito pedante em afirmar que este tipo de musica é ruim e deve acabar, todo tipo de manifestação musical é reflexo da sociedade em que foi criada, você acha que o funk é obsceno? Já deu uma assistida na televisão brasileira ultimamente? O culto ao corpo está em praticamente todos os programas de entretenimento, novela então é bom nem começar a comentar, quando não existiam tantos meio de comunicação a sociedade era manipulada por não saber o que de fato acontecia em outras partes do país e do mundo, hoje temos acesso a informação incondicional de todo o mundo e utilizamos este acesso para enviar solicitações de joguinhos em redes sociais, ao que parece a sociedade procura a alienação como moscas procuram ir de encontro com a luz.
E tudo isso começou com uma corrida, mas fala sério, como pode certas pessoas terem sido o espermatozoide vencedor? Será que o útero tem atalhos?

 

 

Pablo Victor Arceles